Páginas

7 de fev de 2016

QUANDO SEREI RECORRENTE E CARENTE

Quando não haverá mais lembranças
Nem vestígios dessa natureza em flor
Quando as sobreviventes kafkianas
Nas trevas somente com suas proteínas
Se comerão mutuamente.

Artigos contundentes Dia e Noite
Profetizam Antes do sol se por
Nosso planeta não ouvirá um som de amor
Nem mesmo o Topogigio cantará chove chuva sem parar.
Nem o célebre corvo grasnará Merlô ...Merlô...

De cima dos telhados o anjo
Abrirá o selo e anunciará
Planeta arrasado pela mão do homem
Pior q prostitutas q exploram suas peles e
E mucosas pelo pão q levam aos filhinhos...

Prostituídos pelas riquezas q é de todos
São engolidos pelos vermes da cobiça
Do eu carnal desses imbecis.
Camões pelos Varões assassinados
Erguerá aos Céus centúrias de poemas...

Não mais por um rei mas por todos os mortais.
Todos somos dignos de viver
Usufruir das benesses
Da natureza e não somente o Rei
Como é costume em todas as Nações.




Nenhum comentário:

Siga-me por e-mail