Páginas

5 de fev de 2016

DESAMARRA
Desamarra
solta
essas sementinhas
que o vento passa
leva
como um galinho
num bico de passarinho
que alvissareiro
constrói um ninho.

Desprende seus cabelos
deixa
o vento levar
esvoaçar
como um casais de pombos
bailando em sincronias
cortando o ar
como uma música
sublime
que te faz sonhar.

Solta as algemas
que por milênios
sulcaram teus pés
nas cizânias
com grilhões
que escravizaram
tuas horas teus dias
insones estéreis
ora e acredita
que te chegou a
absolvição...
Sejas feliz!







Nenhum comentário:

Siga-me por e-mail