Páginas

13 de fev de 2016

O Colibri da Luz
Numa manhã gloriosa
Na estrebaria velha da Fazenda
Delicado como o olhar de um inocente
um colibri voou por entre as telhas
para alcançar uma nuvem
e ali fazer seu ninho.
Juntou cada fio e entrelaçou
com lacinhos de cetim.
Tão bonitinho o cestinho ficou
nele botou dois ovinhos
do tamanho de um grãozinho de arroz.
Não tardou dois filhotinhos lhe nasceu
dois biquinhos muito abertos
de madrepérolas.
Uma estrela daquele imenso céu
os batizou.

Nenhum comentário:

Siga-me por e-mail