Páginas

22 de fev de 2016

ONDE FOI PARAR O DINHEIRO?
Há tanto que nem dá pra contar
Está no mar na guelra dos peixes
Está na lavoura de trigais
Há tanto...tanto que dardeja
Entre os dedos da natureza...
E por que há tantos ais... lágrimas
De desesperança... fome...e mais...
E se queixam dia e noite
Recostados em cadeiras girantes
Que o vil metal não hais...
Onde foi parar
Quero saber senhores gestores.
Continuam com o pé na mangueira
E na boca um bandeidi
Não respondem quem foi.
Esses ladrões pior que o bandido comum
Que mata cansado de tanta miséria
Mas os que roubam milhões
Matam em dobro... matam multidões.
Pena de morte neles. Nãooooooooooo
Sou contra a pena de morte
Sou pela vida e muita sorte
Pela multiplicação dos trigais.
Para esses espelhos de metais de ouro
Esmaltes de ferrugem
Com germes que corroem suas vísceras
Lentamente
E quando derem seus ais.... nem Deus Nosso Senhor
Os ouvirá.

Nenhum comentário:

Siga-me por e-mail